25 bilionários mais ricos do mundo ganharam quase US$ 255 bilhões nos últimos dois meses

© Getty Images O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, com um aumento de aumento de US$ 31,4 bilhões, é o maior ganhador em dólares nos últimos 2 meses

25 bilionários mais ricos do mundo ganharam quase US$ 255 bilhões nos últimos dois meses

Os super-ricos têm muito mais dinheiro do que há dois meses. 25 das pessoas com as maiores fortunas da lista dos bilionários do mundo da Forbes têm, juntas, US$ 255 bilhões a mais em comparação ao dia 23 de março, quando o mercado de ações dos Estados Unidos atingiu uma baixa por conta da pandemia.

Juntas, essas 25 pessoas – a Forbes analisou apenas aqueles do ranking com fortunas vinculadas a ações públicas – possuem quase US$ 1,5 trilhão, o que representa cerca de 16% da riqueza total detida pelos bilionários do mundo.

  • Imobiliária Homestation
  • Publicidade e Marketing digital
  • Renovation Master School
  • Projeto Mulheres
  • Educação financeira e curso de investimento

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, é o maior ganhador em dólares entre os integrantes deste grupo poderoso. As ações da empresa subiram quase 60% nos últimos dois meses, atingindo um recorde ontem (22). Os investidores reagiram positivamente à estreia do Shops na quarta-feira (20), que é um esforço do Facebook para ajudar pequenos empresários ao hospedar lojas digitais. Zuckerberg, agora com US$ 86,5 bilhões, tornou-se a quarta pessoa mais rica do mundo, de modo a subir da 7ª posição na lista de bilionários do mundo da Forbes de 2020, publicada no início de abril. Agora, ele com 36 anos é mais rico que Warren Buffett, Amancio Ortega, fundador da Inditex, e Larry Ellison, cofundador da Oracle.

O segundo maior ganhador em dólares também é o homem mais rico do mundo, fundador e CEO da Amazon, Jeff Bezos. As ações da gigante do comércio eletrônico continuaram em alta em meio à crescente demanda desde que o coronavírus forçou o fechamento das lojas físicas. Os papéis da companhia aumentaram 29% desde 23 de março. Após o fechamento de ontem (22), Bezos tinha US$ 146,9 bilhões, o que revelou um aumento de US$ 30 bilhões e 26% desde 23 de março.

O maior ganhador em porcentagem é Colin Zheng Huang, fundador do segundo maior comércio eletrônico da China (depois do Alibaba), Pinduoduo. Impulsionadas pelo modelo de compras sociais da empresa, no qual os usuários compartilham aquisições com amigos e familiares, e uma campanha agressiva que oferece acordos subsidiados aos consumidores, as ações da Pinduoduo quase dobraram desde 23 de março e Huang, seu fundador e CEO de 40 anos, teve um aumento de US$ 17,9 bilhões à sua fortuna. Ele é agora a terceira pessoa mais rica da China, com um patrimônio líquido de US$ 35,6 bilhões.

Outro ganhador notável é Mukesh Ambani, que se tornou o indivíduo com mais dinheiro da Ásia em abril, depois que o Facebook anunciou um investimento de US$ 5,7 bilhões na Reliance Jio, com sede em Mumbai, uma subsidiária de telecomunicações do amplo conglomerado fundado pelo falecido pai do indiano. Desde então, a empresa levantou muito mais recursos, incluindo US$ 1,5 bilhão da gigante de private equity KKR ontem (22) e US$ 750 milhões da companhia de investimentos Silver Lake no início de maio. Ao todo, a organização captou US$ 10 bilhões em capital novo em menos de um mês. Agora, Ambani possui US$ 52,7 bilhões, de modo a somar quase US$ 20 bilhões desde a baixa do mercado.

Bilionários com patrimônio líquido vinculado a participações em empresas de tecnologia obtiveram grandes ganhos em meio à pandemia. O índice composto da Nasdaq, especializado em empresas do setor tecnológico, ficou positivo no ano passado e subiu 37% desde 23 de março. O S&P 500 e o Dow Jones, no entanto, subiram cerca de 31% cada um, mas ainda estão em queda de aproximadamente 10% e 15% no que diz respeito ao ano, respectivamente.

Nem uma única fortuna das 25 maiores caiu desde 23 de março. Os patrimônios de Jim, Alice e Robert Walton, por exemplo, cresceram menos em termos percentuais, mas ainda aumentaram US$ 3,6 bilhões cada. As ações do Walmart atingiram o nível mais alto de todos os tempos em meados de abril, depois que a primeira rodada de cheques de estímulo chegou às contas bancárias dos norte-americanos, e eles conseguiram ficar perto do pico. Na terça-feira (19), a empresa reportou uma receita trimestral que subiu quase 10% — de modo a elevá-la para US$ 134,6 bilhões–, impulsionada por um aumento de 74% nas vendas online. Juntos, os três herdeiros bilionários do Walmart possuem quase US$ 165 bilhões.

Os números contrastam fortemente com os do outro lado do espectro da riqueza. Nos Estados Unidos, o total de reivindicações de seguro-desemprego aumentou para 39 milhões desde meados de março, afetando cerca de um quarto da força de trabalho do país.

Fonte: https://bit.ly/3ghmqsO