Autoridades buscam a causa do incêndio em Taiwan que matou 46

Autoridades em Taiwan estavam perseguindo pistas na sexta-feira sobre a causa de um incêndio em um prédio comercial e residencial degradado na cidade portuária de Kaohsiung, no qual 46 pessoas morreram e outras 41 ficaram feridas.

O incêndio no prédio de 13 andares que era o lar de muitos pobres, idosos e deficientes começou na manhã de quinta-feira e durou horas.

  • Publicidade e Marketing digital
  • Imobiliária Homestation
  • Renovation Master School
  • Projeto Mulheres
  • Educação financeira e curso de investimento

Testemunhas disseram ter ouvido o que parecia ser uma explosão por volta das 3 da manhã, quando o incêndio irrompeu nos andares inferiores do prédio, que abrigava restaurantes abandonados e clubes de karaokê.

A mídia local disse que a polícia estava interrogando uma moradora do prédio que supostamente jogou uma bobina de incenso em uma lata de lixo dentro do apartamento onde ela também guardava pequenos botijões de gás. Um homem que descartou descuidadamente um cigarro do lado de fora do prédio e a possibilidade de um incêndio no sistema elétrico também está sendo investigado, afirmam os relatórios.

O prefeito de Kaohsiung, Chen Chi-mai, não comentou os detalhes, mas disse que a investigação incluiria questões de “responsabilidade administrativa”. Ele falou aos repórteres em uma casa funerária da cidade, onde cerimônias tradicionais budistas e taoístas estavam sendo realizadas pelos mortos.

Na sexta-feira de manhã, uma cerca de tela de arame e andaimes de suporte isolaram o prédio e a rua em frente foi novamente aberta ao tráfego. O edifício não parecia em perigo imediato de desabamento, embora seus andares inferiores estivessem enegrecidos e a fumaça marcasse o exterior dos apartamentos superiores.

Lee Mao-sheng, 61, que mora do outro lado da rua, disse que seu amigo Tseng Yong-kang morreu no incêndio. Tseng, que usava cadeira de rodas, gostava de criar pombos e os soltava para voar sobre o espaço urbano, disse Lee. Os dois também jogaram mahjong.

Lee disse que não via Tseng há algum tempo porque a porta do elevador do prédio frequentemente não abria e os moradores não tinham dinheiro para mantê-la.

“As pessoas que moravam lá dentro, muitas delas não estavam com boa saúde. Muitas delas tinham uma deficiência”, disse Lee. O aluguel barato era a principal razão pela qual as pessoas viviam lá em condições precária, disse ele.

Tsai Hsiu-Chin, 70 anos, que morava no prédio por 15 anos, disse que escapou apenas com as roupas do corpo depois de ouvir alguém gritando “fogo” às 3 da manhã

“Eu não trouxe nada. Eu só me preocupei em salvar minha vida”, disse ela, sentada em frente ao prédio carbonizado na noite de quinta-feira, tentando processar sua experiência tomando uma cerveja com um amigo.

Do outro lado da rua, Lin Chie-ying disse que foi acordada em sua casa pelo som de ambulâncias e caminhões de bombeiros. “Achei que nossa casa fosse pegar fogo também”, disse ela.

Os bombeiros demoraram até depois das 7 da manhã para extinguir o incêndio, enquanto uma densa fumaça envolvia os andares superiores.

O prédio é antigo e as pilhas de destroços bloqueando o acesso a muitas áreas e complicaram os esforços de busca e resgate, disseram as autoridades, de acordo com a Agência Central de Notícias de Taiwan.

O prédio de décadas é um dos muitos no distrito de Yancheng, uma parte mais antiga de Kaohsiung, uma cidade de 2,8 milhões de habitantes no sudoeste de Taiwan.

Extintores de incêndio foram instalados no mês passado, mas apenas três por andar porque os residentes não podiam pagar mais, informou o United Daily News, um grande jornal.

Um incêndio em 1995 em uma boate em Taichung, a terceira maior cidade de Taiwan, matou 64 pessoas no desastre mais mortal do país nos últimos tempos.

 

Fonte: mainichi