Coreia do Norte emite alerta sobre declarações do novo primeiro-ministro do Japão

Um instituto de pesquisa afiliado ao Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte emitiu um alerta sobre o novo primeiro-ministro do Japão, Kishida Fumio, ter levantado a questão do sequestro durante conversas com líderes de outras nações. O instituto alegou que a questão já foi resolvida.

O Instituto de Estudos Japoneses da Coreia do Norte divulgou uma declaração através do website da chancelaria norte-coreana na quinta-feira, três dias após Kishida ter assumido o cargo de premiê.

  • Publicidade e Marketing digital
  • Educação financeira e curso de investimento
  • Projeto Mulheres
  • Imobiliária Homestation
  • Renovation Master School

A declaração se referia à conversa telefônica realizada entre Kishida e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na terça-feira, horário do Japão. Kishida solicitou a compreensão e a cooperação de Biden para se obter uma rápida solução para a questão dos cidadãos japoneses sequestrados pela Coreia do Norte.

A declaração diz que o premiê japonês “levantou a questão do sequestro durante as conversações que teve com líderes de outros países após assumir o cargo”.

Acrescenta que “a questão do sequestro foi resolvida perfeita e completamente com as visitas do então primeiro-ministro japonês a Pyongyang em setembro de 2002 e em maio de 2004, e através das atitudes sinceras e esforços realizados subsequentemente pela parte norte-coreana”.

A declaração diz também que as relações bilaterais entre o Japão e a Coreia do Norte “muito provavelmente” serão “ainda mais sombrias se o primeiro-ministro japonês começar mal desde o início”, se referindo que é o que ele está fazendo.

A agência de notícias Radiopress, com base em Tóquio, observou que esta é a primeira vez que a Coreia do Norte menciona oficialmente Kishida como o primeiro-ministro do Japão.

 

Fonte: NHK