Fabricante de cosméticos do Japão vai deixar a Coreia do Sul em meio a protestos pós-coreanos

A maior fabricante de cosméticos japonesa DHC Corp., que tem sido criticada por ser discriminatória contra residentes de etnia coreana no Japão, disse na quinta-feira que se retirará do mercado sul-coreano.

A empresa está sendo criticada desde que seu presidente-executivo escreveu uma mensagem em seu site japonês em novembro do ano passado, aparentemente atacando uma empresa rival que, segundo ele, usa muitas personalidades da TV japonesa com raízes coreanas em seus comerciais.

  • Projeto Mulheres
  • Educação financeira e curso de investimento
  • Renorn Network Internet
  • Renovation Master School
  • Imobiliária Homestation
  • Publicidade e Marketing digital

No site de sua filial sul-coreana, a empresa informou que decidiu encerrar seus negócios no país e suspender as vendas online de seus produtos até meados deste mês.

Na Coreia do Sul, um boicote aos produtos DHC se espalhou e as lojas de departamento pararam de vendê-los desde que o presidente-executivo do fabricante, Yoshiaki Yoshida, escreveu a mensagem em que usou um termo depreciativo para se referir aos coreanos étnicos e acrescentou: “DHC é puramente Empresa japonesa, incluindo as personalidades da TV que usamos. “

Em maio, o DHC excluiu a mensagem de Yoshida do site japonês em meio a crescentes críticas na Coreia do Sul e no Japão.

A fabricante de cosméticos entrou no mercado sul-coreano em 2002.

 

Fonte: mainichi