Grupo de educação busca fundos para ajudar crianças estrangeiras no Japão cujos pais perderam empregos devido ao vírus

Crianças menores de seis anos aprendem português em uma sala de aula em Mirai, na cidade de Kikugawa, província de Shizuoka, no centro do Japão, em 19 de outubro de 2020. (Mainichi / Yukina Furukawa)

Grupo de educação busca fundos para ajudar crianças estrangeiras no Japão cujos pais perderam empregos devido ao vírus

Uma organização sem fins lucrativos que oferece aulas de língua japonesa para cidadãos brasileiros tem coletado doações para garantir oportunidades educacionais para crianças, visto que muitos trabalhadores estrangeiros estão sendo demitidos em meio à nova pandemia de coronavírus.

Mirai, uma instalação na cidade de Kikugawa, província de Shizuoka, que oferece serviços de creche e assistência educacional, viu uma queda drástica no número de alunos porque os pais não conseguiram pagar as mensalidades devido ao desemprego. 

  • Projeto Mulheres
  • Imobiliária Homestation
  • Educação financeira e curso de investimento
  • Renovation Master School
  • Publicidade e Marketing digital

O grupo que administra as instalações tem como objetivo arrecadar dinheiro por meio de crowdfunding para que as crianças possam voltar para Mirai – um local valioso onde as crianças que desejam ingressar em escolas públicas japonesas podem aprender o idioma.

Na sala de aula de Mirai, instalada em uma casa em uma área residencial tranquila em Kikugawa, um professor foi visto segurando um pequeno frasco de cola líquida enquanto perguntava “Chamamos isso de ‘pequeno’ ou ‘grande’?” As vozes enérgicas das crianças respondendo: “É pequeno!” ecoou na sala durante esta troca que ocorreu em meados de outubro.

O presidente Kiyoshi Ochi, 57, um nipo-brasileiro de segunda geração usou fundos pessoais para fundar o Mirai em 2017. O órgão organizador administra uma creche que ensina as línguas portuguesa e japonesa para crianças com menos de seis anos, e oferece educação cultural e de língua japonesa aos escolares de 6 a 12 anos para adequação à escola pública, entre outros serviços. Mais de 300 crianças puderam frequentar escolas públicas por meio dos esforços do grupo. A creche também oferece café da manhã e almoço para crianças.

Mais de 90% dos pais cujos filhos vão para as instalações são despachantes de fábricas e outros locais. O novo coronavírus teve um impacto enorme nas vidas dessas famílias. Consultas de pais dizendo coisas como “Não posso mandar meu filho amanhã porque fui demitido” foram feitas várias vezes desde o final de março, e 50 pessoas, ou 60% das crianças matriculadas, desistiram temporariamente. 

Representante de relações públicas Saori Viana comentou: “Quando o aprendizado para, a aquisição da linguagem fica mais lenta. As crianças podem não conseguir se adaptar às escolas no Japão e podem parar de frequentar, mesmo que consigam entrar.”

As condições de trabalho parecem ter se recuperado gradualmente desde o outono, mas 20 crianças ainda não voltaram às aulas. A Mirai decidiu apostar no crowdfunding para garantir oportunidades de aprendizagem às crianças que abandonaram as aulas contra a sua vontade devido ao desemprego dos pais. 

A organização estabeleceu uma meta de arrecadar 1,16 milhão de ienes (cerca de US $ 11.000), o que equivale a mensalidades para 20 pessoas, permitindo que as crianças frequentem as instalações gratuitamente. O presidente Ochi disse: “Eu criei a instalação com o desejo de reduzir o número de crianças estrangeiras que estão isoladas da sociedade. Gostaria de pedir sua cooperação.”

Enquanto isso, a organização por trás do Mirai depende das taxas mensais para suas operações e acumulou dívidas totalizando 16 milhões de ienes (cerca de US $ 151.840) devido a uma redução na frequência dos alunos. No entanto, Mirai não pode contar com assistência pública e enfrenta dificuldades financeiras. 

Kelly Umezaki, uma residente de Kikugawa cuja filha de 5 anos vai para a instalação, disse: “Trabalho em uma fábrica de peças de veículos. Não poderei trabalhar se Mirai for fechada”.

As doações podem ser feitas através da página web designada em: https://readyfor.jp/projects/crechemirai até 23h do dia 23 de novembro.

Fonte: Mainichi