Holanda debate distribuição gratuita de pílulas letais para idosos

Holanda debate distribuição gratuita de pílulas letais para idosos

O governo da Holanda está discutindo a possibilidade de distribuir, de forma gratuita, um comprimido letal para idosos que não querem mais viver. E, um estudo feito recentemente parece ser a base usada para o início das discussões da distribuição das pílulas.

O estudo, que foi desenvolvido pelo próprio governo, constatou que há um grupo da população holandesa, com mais de 55 anos, que tem uma forte e consistente vontade de morrer. Importante salientar que esse grupo não tem problemas de saúde, o que poderia ser o indicativo de alguma doença mental como depressão ou ansiedade.

  • Imobiliária Homestation
  • Projeto Mulheres
  • Renorn Network Internet
  • Renovation Master School
  • Publicidade e Marketing digital
  • Educação financeira e curso de investimento

Na Holanda, a eutanásia foi legalizada em 2002, no entanto, apenas para casos específicos como o de doenças terminais. Sendo necessário que dois médicos atestem a decisão. Agora, o governo busca dar essa permissão para idosos, que não querem mais viver, sem a necessidade de uma autorização  médica.

Após a aprovação da eutanásia no país, em seu primeiro ano em vigor, ocorreram cerca de 1.880 mortes por comprimido mortal. Nos anos seguintes, foram registradas, aproximadamente, 7.000 pessoas a cada ano que recorreram a este método.

Huib Drion

O nome Huib Drion é bastante importante na Holanda. Ele foi um controverso acadêmico e juiz, há quarenta anos atrás, que escreveu um livro sobre como o Estado deveria fornecer comprimidos letais para aqueles acima de 70 anos, que quisessem encerrar a própria vida. Seu livro é intitulado como: “A escolha do final da vida para os mais velhos”.

A obra de Drion foi escrita após um familiar do acadêmico contar a ele como foram horríveis seus últimos anos de vida em um lar para idosos. Um dos trechos do livro traz a seguinte fala de Huib Drion:

“Muitas pessoas encontrariam uma grande tranquilidade se pudessem ter um meio para por fim às suas vidas de uma maneira aceitável, num momento em que para elas seja o mais adequado”.

O livro é importante no país, pois influenciou na aprovação da lei da eutanásia e agora pode influenciar novamente.

A favor

Aqueles que estão apoiando o projeto são, principalmente, o partido D66 da ala liberal e parte da coligação que sustenta a maioria do governo em Haia, segundo o site “Observador”.

Pia Dijkstra, parlamentar do D66 declarou que:

“Os idosos que já viveram o suficiente devem poder morrer quando decidirem”.

Contra

O principal contrário à aprovação da lei é o partido União Cristã. Para os membros do partido, a eutanásia só deve ser permitida para aqueles que têm alguma doença ou condição incurável e de sofrimento profundo.

A deputada Carla Dik-Faber deu à seguinte declaração:

“Os idosos podem se sentir desnecessários numa sociedade que não valoriza a velhice. É verdade que existem pessoas que se sentem sozinhas, outras podem ter uma vida de sofrimento e isso é algo que não é fácil de resolver, mas o governo e toda a sociedade devem assumir a responsabilidade. Não queremos ‘consultores de fim de vida’, queremos ‘guias de vida’.

Fonte: https://observador.pt/2020/02/07/holanda-vai-aprovar-comprimido-letal-para-maiores-de-70-cansados-de-viver/?fbclid=IwAR28MsdhPFONTQayHwCDmwx_zjd-oSuShkbriwm-k3SS2YrP7aTlmfJD9es