Impureza na vacina da Moderna era aço inoxidável

Funcionários do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão dizem ter sido de aço inoxidável um dos corpos estranhos encontrados em frascos de alguns lotes da vacina contra o coronavírus do laboratório Moderna.

A farmacêutica americana entrou quarta-feira em contato com a pasta para explicar que partículas de aço inoxidável resultantes de fricção de metais penetraram em frascos na linha de produção, em consequência de um ajuste inadequado das máquinas.

  • Projeto Mulheres
  • Imobiliária Homestation
  • Educação financeira e curso de investimento
  • Renovation Master School
  • Publicidade e Marketing digital

Foram retirados de uso frascos lacrados da vacina pertencentes a três lotes, em total de 1,62 milhão de doses, depois da descoberta de impurezas em alguns que haviam sido distribuídos para mais de 900 locais de vacinação de várias partes do Japão desde meados de agosto.

A empresa Takeda Pharmaceutical, responsável pela distribuição da vacina da Moderna no Japão, decidiu pelo recolhimento dos frascos a partir desta quinta-feira, após conversas com autoridades do ministério.

As farmacêuticas Moderna e Takeda sustentam que só existe uma pequena probabilidade de risco adicional à saúde pelo uso de metal em próteses de articulações e marca-passos.

Outros corpos estranhos encontrados em frascos da Moderna em Tóquio, Okinawa e em outras províncias foram identificados como fragmentos de tampa de borracha que provavelmente se soltaram dos frascos na linha de produção ou na sua abertura.

Ao divulgar o resultado de investigação do incidente que realizou, a Moderna declarou não haver riscos para a saúde.

 

Fonte: NHK