Japão e nações do Pacífico prometem estreitar laços de defesa para ordem marítima

Representantes de defesa em nível ministerial do Japão e de 13 países insulares do Pacífico prometeram na quinta-feira em uma reunião online estreitar a cooperação para manter a ordem marítima em meio à crescente atividade militar da China na região.

Os participantes do primeiro encontro afirmaram a importância de promover um Indo-Pacífico livre e aberto, disse sua declaração conjunta. O conceito é uma iniciativa dos Estados Unidos e do Japão, aparentemente com o objetivo de contrariar a crescente assertividade de Pequim nas águas próximas e sua crescente influência econômica na região.

  • Renovation Master School
  • Educação financeira e curso de investimento
  • Projeto Mulheres
  • Imobiliária Homestation
  • Publicidade e Marketing digital

Os representantes concordaram com a necessidade de “compreensão mútua e construção de confiança para enfrentar os desafios da segurança regional”, disse o comunicado.

O ministro da Defesa do Japão, Nobuo Kishi, observou durante a reunião que a região do Pacífico enfrenta novos desafios, incluindo a defesa contra o autoritarismo, de acordo com o ministério japonês, em uma referência velada à China.

“Precisamos fortalecer nossos laços”, disse Kishi, que presidiu a reunião chamada “Diálogo de Defesa das Ilhas do Pacífico no Japão”.

O encontro segue uma reunião dos líderes do Japão e dos países insulares do Pacífico em julho, quando eles também concordaram em cooperação sob a iniciativa Indo-Pacífico livre e aberta.

As atividades militares da China estão se expandindo nos mares do Leste e do Sul da China, realizando mais exercícios com caças e navios de guerra, incluindo seu porta-aviões Liaoning, na região.

As ilhas são de importância estratégica para Tóquio nas arenas econômica e de segurança, disse o governo japonês. A China concedeu empréstimos e assistência ao desenvolvimento para projetos como a construção de instalações de infraestrutura na região, o que poderia aumentar sua presença entre eles.

Cooperação para alívio de desastres e mudança climática também foi discutida na reunião, já que essas nações insulares estão preocupadas com a elevação do nível do mar.

Os países também afirmaram seu compromisso de “alcançar o desmantelamento completo, verificável e irreversível” dos programas de armas nucleares e outras armas de destruição em massa da Coréia do Norte, disse o comunicado.

Os 13 países insulares do Pacífico são as Ilhas Cook, Fiji, Kiribati, as Ilhas Marshall, Micronésia, Nauru, Niue, Palau, Papua Nova Guiné, as Ilhas Salomão, Tonga, Tuvalu e Vanuatu.

Samoa não pôde participar da reunião online devido a dificuldades técnicas.

Representantes dos Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Austrália, Canadá e Nova Zelândia também participaram do encontro.

 

Fonte: mainichi