Japão e Rússia concordam em avançar negociações de tratado de paz

O novo primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, disse que falou por telefone com o presidente russo, Vladimir Putin, na quinta-feira, e que eles concordaram em avançar nas negociações para um tratado de paz pós-guerra entre seus países.

Em busca desse objetivo, Kishida disse mais tarde a repórteres que o Japão tentará primeiro resolver a questão da situação de quatro ilhas situadas a nordeste de Hokkaido, agora controladas pela Rússia.

  • Renovation Master School
  • Educação financeira e curso de investimento
  • Projeto Mulheres
  • Publicidade e Marketing digital
  • Imobiliária Homestation

Durante a conversa de 25 minutos com Putin, Kishida disse que expressou seu desejo de desenvolver as relações Japão-Rússia de maneira mutuamente benéfica e o presidente respondeu que deseja continuar o diálogo sobre uma série de questões bilaterais.

Japão e Rússia têm uma disputa territorial de décadas em relação à soberania das quatro ilhas, que foram tomadas pela União Soviética após a rendição de Tóquio em 1945. A divergência os impediu de assinar um tratado de paz desde o final da Segunda Guerra Mundial.

O Japão, que chama as ilhas de Territórios do Norte, argumenta que a anexação foi ilegal e exige seu retorno, enquanto a Rússia afirma que foi um resultado legítimo da guerra. As ilhas são conhecidas como Kurilas do Sul na Rússia.

Em sua primeira conversa desde que Kishida assumiu o cargo nesta semana, os líderes concordaram em prosseguir com as negociações com base em acordos anteriores, incluindo uma declaração conjunta de 1956 que afirma que duas das quatro ilhas – Shikotan e o grupo de ilhotas Habomai – serão entregues a Japão após a conclusão de um tratado de paz.

Questionado sobre a declaração chave, Kishida disse à imprensa que a política do Japão permanece inalterada que irá “esclarecer a questão da atribuição das quatro ilhas e concluir um tratado de paz”.

Kishida acrescentou que parabenizou Putin por seu aniversário, que caiu na quinta-feira.

Putin também expressou sua esperança de manter conversações com Kishida pessoalmente o mais rápido possível, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores japonês.

Mencionando que Kishida é um ex-ministro das Relações Exteriores, Putin foi citado por um funcionário do ministério como tendo dito: “Estou ansioso para trabalhar com o primeiro-ministro Kishida, que conhece bem as relações bilaterais”.

Os líderes também discutiram os programas nucleares e de desenvolvimento de mísseis da Coréia do Norte, e Kishida pediu a ajuda da Rússia para resolver a questão dos sequestros de cidadãos japoneses pelo Norte nas décadas de 1970 e 1980, disse o ministério.

O telefonema com Putin foi o terceiro de Kishida com um líder estrangeiro desde que ele assumiu o cargo. Na terça-feira, um dia após o lançamento de seu gabinete, o líder japonês falou por telefone com o presidente dos Estados Unidos Joe Biden e o primeiro-ministro australiano Scott Morrison.

 

Fonte: mainichi