Japão está considerando não enviar ministros para as Olimpíadas de Pequim

O Japão está considerando não enviar ministros para as Olimpíadas de Pequim no ano que vem, em linha com um boicote diplomático liderado pelos EUA em meio a crescentes críticas sobre o histórico de direitos humanos da China, disseram no sábado fontes do governo e da coalizão governante.

As ações do Japão que veriam ao lado dos Estados Unidos, junto com países como Austrália, Grã-Bretanha e Canadá, ao mesmo tempo em que não chegaria a ser um boicote diplomático, disseram as fontes.

  • Educação financeira e curso de investimento
  • Projeto Mulheres
  • Publicidade e Marketing digital
  • Imobiliária Homestation
  • Renovation Master School

Várias opções estão sendo avaliadas, incluindo enviar Seiko Hashimoto, presidente do comitê organizador das Olimpíadas e Paraolímpicas de Tóquio e membro da Câmara dos Conselheiros, ou o chefe do Comitê Olímpico Japonês, Yasuhiro Yamashita, disseram as fontes.

Tendo em mente as posições do Grupo dos Sete países industrializados e as tensões entre a China e os Estados Unidos, o primeiro-ministro Fumio Kishida pode decidir sobre o assunto antes do final do ano, disseram as fontes.

Em uma pausa de outras nações do G-7, a França disse que enviará funcionários de alto escalão para as Olimpíadas de Inverno em fevereiro. Paris deve sediar os Jogos Olímpicos de 2024.

Membros do Partido Liberal Democrata, de Kishida, pedem que ele tome uma decisão rapidamente. Ele disse que o Japão decidirá se participará do boicote diplomático com base em seus “interesses nacionais”.

O Japão está considerando explicar que sua posição de enviar representantes, mas não ministros, não é um boicote diplomático, já que busca encontrar um equilíbrio no trato com os Estados Unidos, seu principal aliado de segurança, e a China, seu maior parceiro comercial, de acordo com as fontes.

Uma das fontes do governo disse que Hashimoto irá a Pequim na qualidade de chefe do comitê organizador das Olimpíadas de Tóquio, não como representante do governo, um movimento que provavelmente parecerá aos Estados Unidos uma cooperação com o boicote diplomático.

Ao mesmo tempo, enviar Hashimoto, sete vezes ao comitê olímpico que desempenhou um papel fundamental nos Jogos de Tóquio, para o evento esportivo também pode ser considerado um passo para salvar a face do Japão para a China, disse a fonte.

O Comitê Olímpico Internacional emitiu uma declaração após a Cúpula Olímpica virtual no sábado, que reuniu os principais representantes do esporte, dizendo que se opõe à politização dos jogos.

“A Cúpula se posiciona firmemente contra qualquer politização dos Jogos Olímpicos e do esporte, e enfatizou fortemente a necessidade da neutralidade política do COI, dos Jogos Olímpicos e de todo o Movimento Olímpico”, disse o COI.

Representantes dos comitês olímpicos nacionais da China, Rússia e Estados Unidos também estiveram presentes.

A China pediu ao Japão que apoie as Olimpíadas de Pequim, dizendo que deu total apoio aos Jogos de Tóquio neste verão.

No início deste mês, os Estados Unidos disseram que decidiram por um boicote diplomático, citando os alegados abusos dos direitos humanos na China contra a minoria uigur muçulmana e outros na região de Xinjiang, no extremo oeste.

O Japão está avaliando sua decisão sobre o assunto à luz do apoio da China à realização das Olimpíadas de Tóquio neste verão, apesar dos desafios impostos pela pandemia do coronavírus.

Tóquio também está tomando cuidado para não perturbar as relações com a China antes do 50º aniversário da normalização de suas relações diplomáticas no próximo ano, de acordo com as fontes.

Para os Jogos de Tóquio, Pequim planejava inicialmente enviar o vice-premiê Sun Chunlan, mas acabou decidindo enviar Gou Zhongwen, chefe da Administração Geral de Esportes da China.

As fontes acrescentaram que o governo está considerando enviar Hashimoto para a reunião do Comitê Olímpico Internacional agendada pouco antes da abertura das Olimpíadas de Pequim em 4 de fevereiro e que ela permaneça lá.

Outras propostas que estão sendo apresentadas no LDP incluem o envio do comissário da Agência de Esportes do Japão, Koji Murofushi, disseram as fontes.

 

Fonte: mainichi