Japão fica em 121º lugar no ranking de igualdade de gênero

Japão fica em 121º lugar no ranking de igualdade de gênero

Em pesquisa realizada pelo Fórum Econômico Mundial (FEM), sobre a desigualdade/ igualdade de gênero, constatou-se que o Japão teve uma enorme queda no ranking, em relação ao ano passado. O país foi do 110º lugar para o 121º lugar, a mais baixa posição já ocupada pelo Japão. Os dados do estudo foram divulgados no dia 17 (terça-feira) deste mês.

  • Educação financeira e curso de investimento
  • Projeto Mulheres
  • Renovation Master School
  • Publicidade e Marketing digital
  • Imobiliária Homestation

A pesquisa é realizada em 153 países e tem como objetivo medir a diferença de gênero que há em cada um deles, nos quesitos: política, economia, saúde e educação.

Um dos principais motivos para a posição do Japão é o atraso na presença feminina na área política. Segundo o FEM, só 10% dos parlamentares do país são mulheres. Sendo a porcentagem mais baixa do mundo. E, no quesito econômico, há muitas poucas mulheres em cargos de gerência.

Dos 7 países mais avançados do mundo, o Japão é o que se encontra na pior posição. Em ordem crescente, temos: Alemanha em 10º, França em 15º, Reino Unido em 21º e Estados Unidos no 53º lugar. Entre os países da Ásia, o Japão continua como o de mais baixa posição: Filipinas (16º), China (106º) e a Coréia do Sul (108º).

Os líderes do ranking são: Islândia, que permanece na primeira posição a 11 anos consecutivos; Noruega, Finlândia e Suécia. Quanto ao Brasil, encontra-se em 92º lugar, tendo uma das maiores desigualdades de gênero na América Latina.

O FEM também calculou uma estimativa do tempo necessário para que haja paridade média global, entre homens e mulheres, estimando-se que levarão cerca de 100 anos. Enquanto isso, no quesito economia (mercado de trabalho), a estimativa é pior, sendo de 257 anos.

O FEM é uma organização sem fins lucrativos, localizada em Genebra, cidade da Suíça. A organização realiza reuniões anuais em Davos (Suíça), com líderes de diversos setores, assim como intelectuais e jornalistas, com o objetivo de discutir questões mundiais.

Para mais informações sobre o FEM, acesse: https://www.weforum.org/

Fonte:

https://www.sankei.com/smp/world/news/191217/wor1912170022-s1.html

https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/12/17/desigualdade-de-genero-no-trabalho-so-acabara-daqui-a-257-anos-aponta-forum-economico-mundial.ghtml