Japão limitará espectadores a 10.000 após o estado de emergência do COVID-19

O governo japonês disse na quarta-feira que permitirá até 10.000 espectadores em grandes eventos nas prefeituras onde suspendeu o estado de emergência do COVID-19, uma regra que pode se aplicar aos próximos Jogos Olímpicos de Tóquio.

A participação em eventos como jogos esportivos e shows entre julho e agosto não deve ultrapassar 50 por cento da capacidade do local, disse Yasutoshi Nishimura, o ministro responsável pela resposta ao coronavírus. O limite de espectadores ficará em vigor por cerca de um mês após o fim do estado de emergência, disse ele durante uma reunião de painel de especialistas.

  • Publicidade e Marketing digital
  • Projeto Mulheres
  • Renovation Master School
  • Renorn Network Internet
  • Imobiliária Homestation
  • Educação financeira e curso de investimento

De acordo com as diretrizes existentes em vigor até o final deste mês, grandes eventos em prefeituras que saem de um estado de emergência têm permissão para um máximo de 5.000 pessoas ou 50% da capacidade do local, o que for maior.

Funcionários do governo do primeiro-ministro Yoshihide Suga temiam que isso permitisse que muitas pessoas se reunissem, aumentando o risco de que o coronavírus pudesse se espalhar. Por exemplo, 34.000 espectadores teriam permissão para entrar no Estádio Nacional com capacidade para 68.000 pessoas, o local para a cerimônia de abertura das Olimpíadas de Tóquio.

O limite de frequência de 10.000 pessoas também se aplica a áreas onde um quase estado de emergência foi suspenso.

O governo anunciou que anunciará neste mês quantos espectadores nacionais poderão assistir às Olimpíadas e Paraolimpíadas de Tóquio, tendo já decidido não permitir torcedores estrangeiros.

Nishimura disse que a decisão será tomada junto com o comitê organizador dos jogos, a governadora de Tóquio Yuriko Koike, e os comitês olímpicos e paraolímpicos internacionais.

Atualmente, 10 prefeituras – Hokkaido, Tóquio, Aichi, Kyoto, Osaka, Hyogo, Okayama, Hiroshima, Fukuoka e Okinawa – estão em estado de emergência, com restaurantes sendo informados para fechar às 20h e proibidos de servir bebidas alcoólicas.

O governo está inclinado a acabar com as restrições no domingo, conforme programado, em todas as áreas, exceto Okinawa, onde os hospitais continuam a sofrer com os pacientes do COVID-19, disseram fontes com conhecimento do assunto.

Espera-se que algumas prefeituras, incluindo Tóquio e Osaka, passem para um quase estado de emergência, o que permite que os governadores visem áreas específicas em vez de prefeituras inteiras.

Suga deve finalizar a decisão nesta quinta-feira em uma reunião da força-tarefa, após a qual ele deve dar uma entrevista coletiva.

 

Fonte: japantoday