Maridos felizes, esposas estressadas: passando mais tempo em casa durante a pandemia

Imagem Kyodo

Maridos felizes, esposas estressadas: passando mais tempo em casa

Cerca de 70% dos maridos no Japão sentiram-se mais positivos quanto à criação dos filhos durante o período em que passam mais tempo em casa, devido à nova pandemia de coronavírus, mas 40% das esposas se sentiram estressadas por terem que ficar com seus filhos e maridos. 

Dos 70% dos entrevistados do sexo masculino, 20,9% disseram ter se tornado mais proativos em cuidar dos filhos e 18,5% disseram que aprofundaram seus laços com eles, segundo a pesquisa da Meiji Yasuda Life Insurance Co.

  • Imobiliária Homestation
  • Renovation Master School
  • Publicidade e Marketing digital
  • Educação financeira e curso de investimento

Enquanto isso, 22% das entrevistadas disseram que ficaram irritadas com mais frequência com seus filhos e 11,3% ficaram frustradas com a maneira como seus maridos cuidavam deles.

Mas cerca de metade das esposas notou resultados positivos, com 16,2% citando laços mais profundos com os filhos e 12% se tornando mais atentos ao que lhes dizem.

A principal companhia de seguros realizou uma pesquisa on-line de 12 a 15 de junho e obteve respostas de um total de 1.100 homens e mulheres casados ​​- 550 cada – com filhos de até seis anos de idade.

“Muitas esposas podem ter se sentido estressadas quando o ritmo de criação dos filhos foi interrompido por seus filhos e maridos passando mais horas em casa por causa do fechamento de escolas maternais”, disse Meiji Yasuda em um relatório.

Segundo a pesquisa, 33,5% dos entrevistados disseram ter experimentado homeoffice, já que o Japão estava em estado de emergência devido ao vírus até o final de maio.

Desse número, 88,8% gostariam de continuar trabalhando em casa, sendo que 33,8% deles citam conveniência em cuidar dos filhos enquanto trabalham e 18,1% dizem que desejam passar mais tempo com seus filhos.

No entanto, uma em cada quatro donas de casa cujos maridos começaram o homeoffice disseram que não querem que seus maridos continuem em casa, de acordo com a pesquisa.

Dessas esposas, 36,4% citaram um impacto potencialmente negativo em seus filhos, dizendo que os maridos em casa o tempo todo poderiam estimular a discórdia familiar.

Cerca de 27,3% referiram a incapacidade de seus maridos em equilibrar trabalho e educação dos filhos.

Em 7 de abril, o primeiro-ministro Shinzo Abe declarou estado de emergência para Tóquio, Osaka e cinco outras prefeituras devido à propagação do vírus. A emergência, que posteriormente foi expandida para todo o país, foi totalmente suspenso em 25 de maio.

Fonte: Kyodo