Mark Zuckerberg perde US $ 7 bilhões com empresas boicotando anúncios no Facebook

Mark Zuckerberg | REUTERS

Mark Zuckerberg perde US $ 7 bilhões com empresas boicotando anúncios no Facebook

Mark Zuckerberg acabou de se tornar US $ 7,2 bilhões mais pobre depois que uma enxurrada de empresas retirou publicidade da rede do Facebook Inc.

As ações da empresa de mídia social caíram 8,3% na sexta-feira, o máximo em três meses, depois que a Unilever, uma das maiores anunciantes do mundo, se juntou a outras marcas no boicote a anúncios na rede social. A Unilever disse que iria parar de gastar dinheiro com as propriedades do Facebook este ano.

  • Educação financeira e curso de investimento
  • Projeto Mulheres
  • Imobiliária Homestation
  • Publicidade e Marketing digital
  • Renovation Master School

A queda no preço das ações eliminou US $ 56 bilhões do valor de mercado do Facebook e reduziu o patrimônio líquido de Zuckerberg para US $ 82,3 bilhões, segundo o Bloomberg Billionaires Index. Isso também moveu o CEO do Facebook de um ponto para o quarto lugar, ultrapassado pelo chefe da Louis Vuitton, Bernard Arnault, que foi elevado a uma das três pessoas mais ricas do mundo, juntamente com Jeff Bezos e Bill Gates.

Empresas da Verizon Communications Inc. à Hershey Co. também pararam os anúncios nas redes sociais depois que críticos disseram que o Facebook não conseguiu policiar suficientemente o discurso de ódio e a desinformação na plataforma. A Coca-Cola Co. disse que interromperia toda publicidade paga em todas as plataformas de mídia social por pelo menos 30 dias.

Zuckerberg respondeu na sexta-feira às crescentes críticas sobre informações erradas no site, anunciando que a empresa rotularia todas as postagens relacionadas a votação com um link incentivando os usuários a olharem para seu novo centro de informações aos eleitores. 

O Facebook também expandiu sua definição de discurso de ódio proibido, acrescentando uma cláusula dizendo que nenhum anúncio será permitido se eles classificarem outro grupo demográfico como perigoso. Grupos de direitos civis dizem que o Facebook, que gera quase toda sua receita com publicidade, lucra com publicações de usuários que incluem discurso de ódio, racismo e desinformação.

“Não há exceções para nenhuma das políticas que estou anunciando aqui hoje”, disse Zuckerberg.

Fonte: JapanTimes