Mitsubishi investe em projeto de parque eólico no Laos, o maior no sudeste da Ásia

A casa comercial japonesa Mitsubishi Corp. investiu em um grande projeto de usina eólica no Laos para fornecer eletricidade ao Vietnã, no que seria o maior parque eólico terrestre do Sudeste Asiático.

A Mitsubishi disse em um recente comunicado à imprensa que a usina eólica de 600 megawatts no sul do Laos, a primeira no país, será desenvolvida pela Impact Energy Asia Development Ltd., ou IEAD, de Hong Kong, a partir do próximo ano, com operações planejadas para começar em 2025.

  • Educação financeira e curso de investimento
  • Publicidade e Marketing digital
  • Imobiliária Homestation
  • Renovation Master School
  • Projeto Mulheres

O projeto do parque eólico onshore, também descrito como o “primeiro intercâmbio transfronteiriço de eletricidade proveniente da geração de energia eólica” na região, visa combater as mudanças climáticas e, ao mesmo tempo, apoiar a atividade econômica.

O Vietnã requer fornecimento de energia adicional para manter sua economia em crescimento, especialmente durante a estação seca, quando a usina eólica deve operar em alta taxa e a disponibilidade de geração de energia hidrelétrica, uma das principais fontes de energia do país, é limitada, de acordo com a Mitsubishi. .

Embora não tenha divulgado o tamanho do investimento, o conglomerado com sede em Tóquio disse que sua subsidiária com sede em Hong Kong detém uma participação de cerca de 24 por cento no projeto, com o restante detido pela BCPG Public Company Ltd. e Earth Power Investment Ltd. , ambas subsidiárias de empresas tailandesas.

“Continuaremos a contribuir para a realização de uma sociedade descarbonizada, tanto nos esforçando para alcançar um fornecimento estável de eletricidade no Vietnã quanto abordando os desafios ambientais para uma sociedade estável”, disse Mitsubishi.

A mudança foi seguida por um anúncio em julho pelo BCPG de que o IEAD e a Vietnam Electricity, uma das principais empresas de energia do país, concordaram oficialmente com a compra de eletricidade por 25 anos.

A presidente do IEAD, Paradai Suebma, foi citada no comunicado à imprensa do BCPG como tendo dito que a assinatura do acordo “marca uma colaboração simbólica” entre Laos, Vietnã, Japão e Tailândia “para trabalhar na busca global de emissões zero líquidas”.

O projeto está em linha com um memorando de entendimento sobre intercâmbio de energia assinado entre os governos vietnamita e do Laos em outubro de 2016, no qual o Vietnã importará 5.000 MW de eletricidade no total do Laos até 2030, de acordo com a Mitsubishi.

A empresa japonesa estabeleceu metas de atingir a neutralidade de carbono em seus negócios de serviços públicos até 2050 e de dobrar a quantidade de energia de fontes renováveis ​​de energia até o ano fiscal de 2030, que termina em março de 2031, em comparação com os níveis do ano fiscal de 2019.

 

Fonte: mainichi