Novo premiê do Japão vai enfatizar em discurso necessidade de ganhar confiança e empatia

O primeiro-ministro do Japão, Kishida Fumio, pretende enfatizar a necessidade de uma atuação governamental capaz de ganhar a confiança e a empatia da população no seu primeiro discurso sobre políticas públicas em geral a ser feito sexta-feira.

Em texto preliminar do discurso, o premiê recém-empossado expressa determinação de lutar pela superação do desafio do coronavírus juntamente com o público e de descortinar uma nova era. Também promete realizar uma verificação exaustiva de que as políticas públicas venham a atender às necessidades da sociedade.

  • Publicidade e Marketing digital
  • Renovation Master School
  • Imobiliária Homestation
  • Educação financeira e curso de investimento
  • Projeto Mulheres

Entre as medidas de enfrentamento da crise viral estarão o oferecimento de medicamentos ministrados por via oral até o fim do ano, a garantia de segurança da população pelo uso de certificados de vacinação digitais e proposta de modificação da legislação para a obtenção de recursos médico-hospitalares.

Kishida vai se comprometer com a concretização de um novo capitalismo através de um ciclo proveitoso de crescimento e distribuição de riqueza, assim como da criação de uma nova sociedade na qual a coexistência com o coronavírus seja a norma.

Ele vai delinear diversas estratégias de crescimento econômico, como uma arrojada aplicação de recursos em pesquisa e desenvolvimento para tecnologia científica avançada e a construção de infraestrutura digital.

Além disso, apresentará planos de distribuição de renda com ampliação de dedução tributária a empresas para elevação dos salários e de suporte à educação e a custos habitacionais na forma de empréstimos a estudantes para amortização após a graduação.

Nas áreas de diplomacia e segurança nacional, o novo premiê prometerá promover um Indo-Pacífico livre e aberto e liderar a comunidade internacional em esforços para a concretização de um mundo sem armas nucleares na condição de chefe de governo do único país a ter sofrido ataques atômicos.

 

Fonte: NHK