Ossos de 8 pessoas encontradas em caverna perto do local da Batalha de Okinawa

Ossos de 8 pessoas encontradas em caverna perto do local da Batalha de Okinawa

Uma busca em uma caverna aqui descobriu os ossos de seis adultos e duas crianças que provavelmente morreram durante a Batalha de Okinawa em 1945.

Os ossos foram coletados no final de fevereiro e março por Mirai-o-tsumugu-borantia, um grupo de voluntários que buscam restos mortais e artigos da guerra.

  • Renorn Network Internet
  • Educação financeira e curso de investimento
  • Projeto Mulheres
  • Imobiliária Homestation
  • Publicidade e Marketing digital
  • Renovation Master School

O grupo disse que os restos mortais foram encontrados no espaço cercados por lixo e rochas a cerca de 20 metros da caverna. Os ossos foram enterrados a cerca de 1,2 metros de profundidade sobre uma área de 2 metros de comprimento e 1 metro de largura.

Com base nos sapatos e equipamentos descobertos ao redor dos restos mortais, o grupo acredita que os adultos eram soldados japoneses. Uma caneta-tinteiro com o nome “Nakagawa” gravado nela, bem como botões que parecem pertencer aos soldados americanos também foram encontrados lá.

“Nos últimos sete a oito anos, os restos mortais de uma a três pessoas são tipicamente encontrados em um único local”, disse um funcionário da prefeitura de Okinawa. “Encontrar mais de cinco restos mortais é incomum.”

A Batalha de Okinawa foi uma das mais sangrentas da Segunda Guerra Mundial. Estima-se que 200.000 japoneses e americanos morreram na batalha, incluindo um quarto da população civil de Okinawa.

Um dos regimentos de infantaria do Exército Imperial Japonês estava envolvido em uma luta feroz na área ao redor da caverna. Muitos na unidade eram originários de Hokkaido.

De acordo com o governo da prefeitura de Okinawa, o número provisório de ossos coletados da guerra morta no ano fiscal de 2019 foi de 59, dos quais 38 foram encontrados em Itoman.

Mirai-o-tsumugu-borantia, com sede na prefeitura de Aomori, cuidadosamente escavava os ossos à mão e os limpará e os entregará ao centro do governo da prefeitura em Itoman, que coleta restos mortais da guerra.

O grupo planeja solicitar testes de DNA nos restos mortais para fins de identificação e espera devolvê-los às suas famílias.

Tetsuji Hamada, secretário-geral do grupo, disse que o Ministério da Saúde realizou testes de DNA em ossos encontrados anteriormente pelo grupo, mas levou mais de um ano após o momento da descoberta para ter uma amostra retirada dos restos mortais.

“Famílias enlutadas estão envelhecendo”, disse ele. “Se o processo tivesse sido feito muito mais rápido, parentes próximos ainda poderiam estar vivos e testes mais precisos poderiam ter sido realizados.”

Residentes na prefeitura de Okinawa expressaram recentemente preocupações de que restos desconhecidos da feroz Batalha de Okinawa possam ser misturados com o solo usado como aterro sanitário para um projeto para construir uma nova base militar dos EUA ao largo do distrito costeiro de Henoko, em Nago.

Hamada disse que o grupo está determinado a continuar suas atividades para coletar os restos mortais da guerra e devolvê-los às famílias enlutadas.

 

Fonte: Asahi