Outubro traz várias mudanças de preços para residentes do Japão

Latas de cerveja, a partir da esquerda, da Asahi Breweries Ltd., Sapporo Breweries Ltd. e Kirin Co. podem ser vistas em uma prateleira de um supermercado em Tóquio em 1º de fevereiro de 2019. (Kyodo)

Outubro traz várias mudanças de preços para residentes do Japão

Uma série de mudanças de preços entrará em vigor no Japão a partir de quinta-feira, de bebidas alcoólicas a salários mínimos, conforme foram feitas revisões nos sistemas de impostos e previdência social.

Com as taxas de impostos revisadas, os preços de varejo de vinho, tabaco e bebidas de baixo custo como cerveja, feitas de alternativas de malte ou uma mistura de destilados, poderiam ser mais elevados.

  • Publicidade e Marketing digital
  • Projeto Mulheres
  • Educação financeira e curso de investimento
  • Renovation Master School
  • Imobiliária Homestation

O imposto para o que é conhecido no país como “cervejas de terceira categoria” aumentará 9,8 ienes por 350 mililitros e o do vinho será 7,5 ienes mais alto para uma garrafa de tamanho normal.

Mas a cerveja normal na mesma quantidade será tributada 7 ienes a menos e o saquê japonês, que normalmente é vendido em garrafas de 1,8 litro, será 18 ienes mais barato.

Os preços de varejo de 224 produtos da Japan Tobacco serão mais altos entre 10 e 100 ienes por pacote. A Philip Morris e a British American Tobacco também apresentarão aumentos de preços entre 20 e 50 ienes e 10 e 60 ienes, respectivamente.

Entre as mudanças nos setores de previdência e saúde, pessoas com 65 anos ou mais serão elegíveis para vacinação prioritária contra influenza, enquanto a vacinação contra rotavírus será basicamente gratuita para bebês nascidos a partir de agosto.

Das 47 prefeituras do Japão, 40 – sem incluir Hokkaido, Tóquio, Shizuoka, Kyoto, Osaka, Hiroshima e Yamaguchi – aumentarão os salários mínimos entre 1 e 3 ienes, em etapas.

A ajuda financeira para famílias de baixa renda, como o pagamento das contas de eletricidade, será reduzida.

Por outro lado, o subsídio de desemprego concedido a pessoas que deixam o emprego por motivos pessoais será pago depois de dois meses, em vez de três, o que o governo diz ajudar a criar um mercado de trabalho que torna mais fácil a mudança de carreira.

As taxas de televisão da NHK, formalmente conhecida como Japan Broadcasting Corp., serão reduzidas em 35 ienes por mês para 1.225 ienes, enquanto as de um pacote incluindo transmissões via satélite serão 2.170 ienes, menos 60 ienes.

Também a partir do início de outubro, Tóquio será incluída na campanha governamental “Go to Travel”, um programa de subsídio para o turismo doméstico com o objetivo de reavivar o consumo após uma tendência de queda nas novas infecções por coronavírus.

Fonte: Mainichi