Pela primeira vez no Japão, um ministro irá tirar licença-paternidade

Pela primeira vez no Japão, um ministro irá tirar licença-paternidade

Shinjiro Koizumi, o ministro do Meio Ambiente, anunciou um ato inédito na história da política do Japão. Ele será o primeiro no cargo de ministro a tirar licença-paternidade, ficando cerca de 15 dias de licença, para cuidar de seu filho.

Koizumi tem 38 anos e sua esposa está grávida de seu primeiro filho, com previsão para nascer em breve. Ele disse que quer ser um exemplo para outros pais, os incentivando a tirar um tempo do trabalho (direito estabelecido em lei), durante um período, para estarem com seus filhos pequenos. Afinal, a licença-paternidade ainda não é bem vista no Japão e muitos homens optam por não exigir seu direito, com medo de julgamentos e punições de seus empregadores e colegas.

  • Imobiliária Homestation
  • Renovation Master School
  • Publicidade e Marketing digital
  • Projeto Mulheres
  • Educação financeira e curso de investimento

Devido ao preconceito, somente 6% dos homens tiram a licença, enquanto o número de mulheres é de 80%. Koizumi é um ministro bastante popular e considerado uma estrela em ascensão na política japonesa. Sua atitude pode retirar um pouco do peso negativo que há na licença-paternidade, ajudando a mudar à visão da sociedade. E, incentivar outros homens a tirarem um tempo para ficarem com seus filhos recém nascidos, em um período bastante delicado na vida das crianças e pais.

Ainda de acordo com o ministro, ele não ficará afastado duas semanas consecutivas, e sim, terá jornadas mais curtas que serão distribuídas ao longo dos 3 primeiros meses do bebê. Totalizando 15 dias de licença.

A lei japonesa permite até dois anos de licença, ao se juntar a licença-maternidade e paternidade, desde que se cumpra certas condições como não haver vagas em creches.

 

Fonte: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2020/01/15/pela-1a-vez-ministro-japones-pedira-licenca-paternidade.ghtml