Primeiro Ministro Suga mantém a promoção de viagens, apesar do aumento de casos de vírus

Uma plataforma na estação JR Osaka está lotada de pessoas usando máscaras faciais em 20 de novembro de 2020. A prefeitura de Osaka relatou 370 novos casos do novo coronavírus no mesmo dia, a maior contagem diária desde o surto do vírus. (Kyodo) == Kyodo

Primeiro Ministro Suga mantém a promoção de viagens, apesar do aumento de casos de vírus

O primeiro-ministro Yoshihide Suga disse na sexta-feira que o governo continuará sua campanha de promoção do turismo doméstico Go To Travel para sustentar a economia, apesar dos pedidos de médicos e outros para suspender o programa de subsídios em meio ao ressurgimento de infecções por coronavírus no Japão.

O país registrou 2.427 novas infecções, atingindo um recorde pelo terceiro dia consecutivo, de acordo com as autoridades locais. Tóquio registrou 522 casos, abaixo do recorde de 534 marcado na quinta-feira, enquanto a prefeitura de Osaka atingiu um recorde de 370.

  • Projeto Mulheres
  • Renovation Master School
  • Educação financeira e curso de investimento
  • Imobiliária Homestation
  • Publicidade e Marketing digital
  • Renorn Network Internet
“Estamos em uma situação em que o máximo de cautela é necessário”, disse Suga no parlamento. Mas ele também sugeriu que não tem planos de descartar a campanha Go To Travel, dizendo: “Temos revisado o programa ouvindo as opiniões de especialistas e empresas envolvidas. Continuaremos a operá-lo de maneira adequada.”

A força-tarefa do governo para coronavírus, no entanto, propôs após sua reunião que os governos central e local considerassem encurtar o horário de funcionamento dos restaurantes e também revisassem a campanha Go To Travel nas próximas três semanas em regiões onde as infecções estão se espalhando rapidamente.

“Vamos tomar medidas firmes nesta fase para evitar a declaração do estado de emergência”, disse Yasutoshi Nishimura, o ministro responsável pela resposta do governo ao coronavírus, a repórteres após receber a proposta.

Uma fonte do governo disse: “Devemos respeitar o senso de crise da força-tarefa”.

O programa de subsídio Go To Travel, que efetivamente cobre metade das despesas de um viajante, foi lançado no final de julho para apoiar a indústria do turismo depois de ter sido severamente afetada pela pandemia.

Até agora, cerca de 40 milhões de viagens foram cobertas pelo esquema, com 176 usuários infectados com o vírus, de acordo com o governo.

Toshio Nakagawa, chefe da Associação Médica do Japão, disse que embora não houvesse nenhuma evidência concreta de que o programa fosse responsável pelo recente aumento de casos de coronavírus no país, “Não é por engano que o esquema funcionou como um catalisador”.

Haruo Ozaki, que chefia a Associação Médica de Tóquio, disse em uma entrevista coletiva de emergência que é altamente possível que o movimento de pessoas esteja causando a disseminação de infecções. “Gostaríamos (do governo) de suspender (o programa)”, disse.

Mas a indústria de viagens e alguns governos locais pediram que o programa continue por enquanto para manter a economia à tona.

“Enquanto as infecções estão se espalhando, a eficácia econômica (do programa) para a indústria de viagens é enorme”, disse o governo da província de Miyazaki ao Kyodo News.

A Prefeitura de Wakayama compartilhou uma visão semelhante, dizendo: “Não estamos em uma situação em que precisamos isolar as pessoas de outras prefeituras de uma vez.”

A contagem de infecções em todo o país agora é de cerca de 129.000, incluindo cerca de 700 do navio de cruzeiro Diamond Princess em quarentena em Yokohama em fevereiro, enquanto quase 2.000 mortes foram relatadas.

Enquanto isso, em Tóquio, os cupons da campanha governamental Go To Eat, que promove jantares fora e apóia a indústria de restaurantes, foram disponibilizados na sexta-feira. A maioria das prefeituras do país já lançou esses cupons.

O número de novos casos em Tóquio ultrapassou 500 na quinta-feira pela primeira vez, e o governo metropolitano elevou seu alerta de vírus para o mais alto dos quatro níveis. O alerta de nível quatro foi instalado pela última vez na capital em 10 de setembro.

A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, exortou as pessoas a evitarem comer em grupos grandes e a passar menos tempo juntas. O governo central pediu medidas como limitar os grupos a quatro ou menos.

As pessoas fazem uma fila em Tóquio para comprar os vouchers “Go To Eat” do governo, projetados para promover jantares fora e apoiar a indústria de restaurantes atingida pela pandemia do coronavírus, em 20 de novembro de 2020, quando as vendas de vouchers começaram na capital. (Kyodo) == Kyodo
Fonte: Kyodo