Tóquio registra 60 casos de coronavírus, o mais alto desde que a emergência foi suspensa

Imagem Kyodo News

Tóquio registra 60 casos de coronavírus, o mai alto desde que a emergência foi suspensa

O governo metropolitano de Tóquio registrou 60 novas infecções por coronavírus na capital no domingo, atingindo o maior número de casos diários desde que o estado de emergência da capital japonesa foi suspenso no final do mês passado.

O número subiu de 57 no dia anterior, elevando o total acumulado de Tóquio para 6.114. Cerca de metade dos casos mais recentes vieram de pessoas que trabalham ou visitaram distritos de vida noturna.

  • Renovation Master School
  • Projeto Mulheres
  • Educação financeira e curso de investimento
  • Imobiliária Homestation
  • Publicidade e Marketing digital

Novas infecções em Tóquio estavam em trajetória descendente até o final de maio. Mas os casos se recuperaram depois que o estado de emergência foi suspenso para Tóquio e outras quatro prefeituras em 25 de maio, permitindo que o comércio abrisse novamente.

Os 60 casos no domingo distorceram os jovens, com 33 na casa dos 20 e 12 na casa dos 30. Pouco mais da metade, 31, foi encontrada em estabelecimentos de vida noturna, incluindo 18 funcionários de clubes.

Quatro foram infectados por familiares, enquanto uma via de transmissão não pôde ser determinada em 39 casos.

Os números seguiram uma tendência recente de aglomerados de infecções em áreas como a conhecida área de Kabukicho, na região de Shinjuku Ward, depois que o governo metropolitano suspendeu suas recomendações contra locais música ao vivo e casas noturnas em 19 de junho.

Entre os casos recentes, nenhum desenvolveu condições graves e muitos foram assintomáticos. Um funcionário do governo metropolitano enfatizou que é crucial proteger dados demográficos de maior risco, como idosos e pessoas com condições pré-existentes.

“Estamos pedindo ao público que continue exercendo medidas preventivas”, disse a autoridade, negando que Tóquio esteja passando por uma “segunda onda” de infecções.

Fonte: Kyodo